Ciências

Genética, o que é, histórico, cromossomos, fenótipos, genótipos

A genética, que começou com os experimentos de Gregor Mendel, é uma ciência que estuda a transmissão das características de um indivíduo para outro.

Atualizado em 14/04/2019

A Genética é um campo da Biologia que estuda os complexos mecanismos da hereditariedade, também conhecida como herança biológica. A hereditariedade está contida nos genes, que transmitem as características de um indivíduo para outro.

Desde os tempos antigos, a forma como os filhos se parecem com os pais fascina a humanidade, só que não havia uma explicação válida.

Tudo mudou após os estudos de Gregor Mendel. Ele fez pesquisas com ervilhas, assim criando enunciados que embasaram futuras pesquisas.

Um experimento importante

Conseguir compreender como funciona os mecanismos da hereditariedade sempre foi um desafio. Antes da Genética, não se entendia porque um filho puxava, por exemplo, olhos do pai e outro, não.

Conheça a Genética e saiba como é transmitida a hereditariedade

As perguntas ficavam sem resposta concreta, até que um monge fez experimentos usando ervilhas. Tratava-se de Gregor Johann Mendel, cuja intenção era apenas melhorar a produção agrícola. Mas ele criou o que ficou posteriormente conhecido como Leis de Mendel, em 1866.

O monge buscava compreender o motivo de o cruzamento entre híbridos produzir descendentes tão desiguais. Seus questionamentos, no entanto, visavam melhorar a produção agrícola, criando espécimes mais resistentes. Acabou servindo para fundamentar toda a Genética que viria posteriormente.

Os experimentos de Mendel

Gregor Mendel decidiu estudar a Genética analisando ervilhas, posto que se reproduzem rápido, são de fácil cultivo e dão muitas sementes. Ele analisou sete características das ervilhas, quais sejam: textura e cor das sementes, tamanho da planta, forma e cor da vagem, cor e posição da flor.

Conheça a Genética e saiba como é transmitida a hereditariedade

 

Não demorou e ele propôs a Lei da Segregação dos Fatores, ou seja, são os atuais genes. Cada indivíduo traz consigo um par de fatores para cada característica, só que elas se separam no instante da formação dos gametas.

Na ocasião da fecundação, os gametas do pai e da mãe se unem, mas levam consigo suas características.

Mendel cooperou muito para a Genética, por isso é aclamado atualmente como o pai dessa ciência. Ocorre que seus experimentos ficaram largados por anos, o que foi um retrocesso para a evolução científica dessa matéria tão importante.

E em 1900, três grandes pesquisadores redescobriram as pesquisas de Mendel, só que sem que um soubesse do outro. Essa tríade de botânicos concorreu para que se aceitassem as ideias de Mendel. E assim se iniciaram os estudos genéticos em humanos.

Na atualidade, para estudar a Genética se unem várias áreas do conhecimento, a saber: biologia molecular, ecologia e até a genômica. Nesta última é empregada a bioinformática para a decodificação de dados.

As células haploides e as células diploides

As células haploides (n) têm somente um conjunto de cromossomos. Dessa forma, nos animais os gametas (células sexuais) são haploides, posto que possuem a metade do número de cromossomos de sua espécie.

Conheça a Genética e saiba como é transmitida a hereditariedade

As células diploides (2n) são aquelas que têm dois conjuntos de cromossomos, donde podemos citar o zigoto. Este possui o conjunto de cromossomos que proveem da mãe, além de um conjunto originário do pai. Citamos como exemplo de células diploides as da pele, dos ossos, assim como os neurônios, e muitas outras.

O que são os cromossomos?

Os cromossomos podem ser definidos como sequências da molécula de ácido dioxirribonucleico (DNA), em forma de espiral, que têm genes e nucleotídeos. Já o número de cromossomos varia de determinada espécie é grafado com letra N.

Exemplificando com a mosca Drosophila, que possui 8 cromossomos nas células do corpo e 4 nos gametas. Já a espécie humana contém um número geral de 46 cromossomos nas células diploides, além de 23 nos gametas.

Os cromossomos homólogos e os genes

Os cromossomos de cada gameta são semelhantes, posto que têm genes que impõem certa característica, dispostos na mesma sequência em cada um deles. Cada cromossomo que está no espermatozoide, por exemplo, achará correspondência nos cromossomos do óvulo.

Conheça a Genética e saiba como é transmitida a hereditariedade

Já os genes são esses “pedaços” sequenciais do DNA, responsáveis por codificar os dados determinantes da produção de proteínas. Elas agirão no desenvolvimento dos caracteres de cada ser vivo, ou seja, a unidade fundamental da hereditariedade.

Os genes alelos são os que se situam no mesmo lócus dos cromossomos homólogos. Por isso estão comprometidos com a determinação de um mesmo caráter.

É por conta dos genes que o pelo nos coelhos, por exemplo, aparecem com variações, o que determina características diferentes. Alguns coelhos nascem pardos e outros, branco.

Os Alelos e os Alelos Múltiplos

Um alelo é cada uma das diversas formas alternativas do mesmo gene que se situa em um locus no cromossomos. Eles agem na determinação do mesmo caráter.

Já os alelos múltiplos acontecem na hipótese em que um gene (genótipo) contém três ou mais alelos, para um mesmo lócus cromossômico (endereço do gene). Isso determina uma determinada característica (fenótipo).

Os Homozigotos e os Heterozigotos

Os indivíduos homozigotos são os que apresentam pares de genes alelos idênticos (AA/aa). Já os heterozigotos são aqueles que distinguem os seres que contém dois genes alelos distintos (Aa).

Conheça a Genética e saiba como é transmitida a hereditariedade

Se um indivíduo heterozigótico tem um gene alelo dominante, ele determina uma dada característica. Os chamados genes dominantes são grafados com letras maiúsculas (AA, BB, VV) e expressos fenotipicamente em heterozigose.

Mas se o gene alelo não se apresenta nesse indivíduo, ele é um gene recessivo. Os genes recessivos são escritos com letras minúsculas (aa, bb, vv) e os fenótipos são expressos apenas em homozigose.

O Fenótipo e o Genótipo

Podemos conceituar o genótipo como o conjunto das informações que estão nos genes, por isso os irmãos gêmeos contém o mesmo genótipo. É que eles possuem os mesmos genes. No genótipo está a constituição genética do indivíduo.

O fenótipo, entretanto, é a expressão dos genes, isto é, o conjunto das características dos seres vivos. Podemos exemplificar com a cor da pelagem dos animais, ou dos olhos humanos e o tipo sanguíneo.

Herança Ligada ao Sexo

Na conceituação dos cromossomos sexuais, podemos defini-los como aqueles que determinam o sexo dos indivíduos.. As mulheres têm 2 cromossomos X, ao passo que os homens apresentam um cromossomo X e um Y. Da forma é o gameta masculino que define o sexo dos filhos.

Conheça a Genética e saiba como é transmitida a hereditariedade

 

Considerando que o cromossomo X tem mais genes que o Y, obviamente que alguns dos genes do X não têm alelo equivalente no Y. Por essa razão que é o X que determina a herança ligada ao cromossomo sexual ou ligada ao sexo.

Leia também sobre a Citologia, saiba o que é e como é a estrutura no interior das células.

Fonte: Educação, Brasil Escola, Toda Matéria, Info Escola, Wikipédia, Toda Biologia, Mundo Educação, Khan Academy, Só Biologia, Escola Kids.

Fonte das imagens: Biology, Ecosia, Youtube, Pitereste, Hype Science, Youtube, Youtube.