Geografia

Geadas, o que são? Definição, como se formam e os tipos principais

Geadas são classificadas como fenômeno atmosférico de baixa temperatura que provoca a morte de plantas e suas parte, como folhas, ramos, etc.

Atualizado em 20/05/2020

Em algumas partes do Brasil é comum ver, pela manhã, regiões cobertas por gotículas de gelo sobre a vegetação. Essas gotículas, que formam uma espécie de lençol de gelo fino, são denominadas geadas. Normalmente, as geadas ocorrem em estados localizados no Sul e Sudeste do país, onde as temperaturas costumam cair durante o inverno.

Em síntese, a geada se forma em superfícies externas que estão expostas a temperaturas de 0º, ou inferiores. Assim, para que o fenômeno meteorológico ocorra, a água em estado gasoso passa pelo processo de sublimação, ocasionando no estado sólido. Em alguns casos, o orvalho também se transforma em geado. Neste sentido, a água em estado líquido se transforma para o estado sólido por meio da solidificação.

Por congelarem as superfícies de vegetações, as geadas prejudicam plantações e trazem prejuízos aos agricultores. Isso porque, a geada congela a água presente nas plantas, causando a morte das folhas, ramos, caule, etc. Com isso, a estrutura celular é destruída, especialmente em plantas sensíveis, como o café.

Como as geadas são formadas?

A formação das geadas depende de alguns aspectos. Por conta disso, recebem classificações diferentes dependendo da forma e do aspecto visual. Além disso, possuem aparência diferente em decorrência da região onde se formam. Dessa maneira, existem quatro tipos de geadas:  a geada de vento frio, de radiação, geada mista e de canela.

As geadas de vento frio, também chamadas de geada de advecção, são aquelas provocadas pela ação dos ventos. Normalmente, são ventos fortes que duram por um longo período de tempo de forma constante. Além disso, apresentam temperaturas baixas, ressecando plantas e congelando as folhagens.

Geadas, o que são? Definição, como se formam e os tipos principais
Geada na região da Serra Gaúcha, Rio Grande do Sul.

Já a geada de radiação ocorre quando o céu está limpo, ou seja, sem a presença de nuvens. Com isso, a superfície da Terra perde energia para a atmosfera causando assim o resfriamento. Geralmente, o ar é frio e seco, com a presença de vento calmo e temperaturas inferiores a 0°.

Quando os dois fenômenos ocorrem de maneira simultânea temos a chamada geada mista. Ou seja, o ar frio e seco congela as vegetações e prejudica as plantações por conta da perda de energia na superfície. Além disso, existe também o caso da geada de canela.

Nesse sentido, o vento seco e frio, com temperaturas inferiores à 0º, resfria a superfície de plantações. Com isso, a seiva presente no caule das plantas é congelada, impedindo a passagem do líquido no interior do vegetal. Neste caso, forma-se a geada com aspecto visual escuro, devido à morte dos vegetais.

Como minimizar os efeitos da geada?

Por conta do resfriamento das vegetações, os agricultores são os que mais sofrem com os efeitos das geadas. Com isso, algumas práticas podem ser tomadas para que os efeitos sejam minimizados ou, até mesmo, evitados. Uma das práticas é planejar o local de plantação e a semeadura da vegetação.

Geadas, o que são? Definição, como se formam e os tipos principais
Irrigação por aspersão é uma das práticas utilizadas para amenizar os efeitos das geadas.

Além disso, os agricultores podem optar por variedades mais resistentes aos efeitos das geadas. Assim, as plantações podem ser feitas com variedades diferentes e mais tolerantes ao frio. Outro ponto é a fabricação de neblina artificial para que a superfície terrestre não perca grande quantidade de energia.

A irrigação da vegetação antes do anoitecer também pode ser uma prática adotada pelos agricultores. Junto a isso, cobrir as plantações com palhas ou plásticos para evitar que as geadas atinjam as plantas.

O que achou da matéria? Se gostou, confira também o que é Granizo e como a Neve é formada.

Fontes: Agro Smart, Info Escola e Nova Escola 

Imagens: Tempo Agora, EBC e Irrigação

Por <a href='https://conhecimentocientifico.r7.com/author/dayane/' rel='dofollow' class='dim-on-hover'>Dayane Borges</a>
Por Dayane Borges
Jornalista e redatora com experiência em escrita criativa, adequação e produção de conteúdos multimídia para a web.