Biologia

Dopamina – Tudo sobre o neurotransmissor do prazer

Os neurotransmissores são moléculas responsáveis pela comunicação das células. A dopamina é conhecida como o neurotransmissor do prazer.

Atualizado em 05/02/2020

Os neurotransmissores são moléculas responsáveis pela comunicação das células no Sistema Nervoso. Normalmente, eles são encontrados em terminais sinápticos dos neurônios. E a dopamina (DA) em específico, é conhecida como o neurotransmissor do prazer.

Quando se fala de neurotransmissor é normal a maioria das pessoas pensarem na DA. Mesmo que muitas vezes nem conheçam ou saibam o que é exatamente isso. Primordialmente,ela atua, especialmente, no controle tanto da movimento, como da memória e da sensação de prazer.

Além disso, é precursora natural dos neurotransmissores adrenalina e noradrenalina. Ademais, é um composto químico derivado do aminoácido tirosina. Antes de mais nada, é importante citar que sua forma molecular é C8H11NO2.

Função da Dopamina

Dopamina: Conheça mais sobre o neurotransmissor do prazer
Ativo Saúde04

Com a finalidade de controlar o nível de estimulação no sistema motor, a ausência de dopamina pode causar tremores e até impossibilidade de locomoção voluntária. Aliás, vale ressaltar que só foi ser considerada assim a partir da década de 1950.

Da mesma forma, ela está sobretudo envolvida com processos de humor, compensação, cognição e além disso, é responsável pelo prazer. Além de ser precursora de outro neurotransmissores: a norepinefrina e a epinefrina (também conhecida como adrenalina).

Ao mesmo tempo que está relacionada com o prazer, também é responsável por:

  • Estimulação da excreção
  • Supressão da liberação de aldosterona
  • Relaxamento do esfíncter esofágico
  • Retardo do esvaziamento do estômago

Estrutura da Dopamina

 

estrutura dopamina
Estrutura da Dopamina – Fonte: BrasilEscola

Onde é produzida?

A família da dopamina é a catecolaminas, que, por sua vez,  são formadas por um catecol (3,4-di-hidroxibenzeno). Em resumo, é sintetizada no citoplasma dos neurônios dopaminérgicos. E isso acontece a partir de um minoácido: a tirosina,  sendo essa inicialmente convertida em L-dopa por meio da ação da tirosina hidroxilase. Posteriormente, como resulta a L-dopa é convertida em dopamina por meio da ação da L-aminoácido aromático descarboxilase.

Você sabia?

  •  Que existem estudos que mostram, que o neurotransmissor também está relacionado à capacidade de memorização?
  • Que de acordo com os cientistas, o sentimento de prazer gerado pela DA. Decerto é associado, pelo cérebro, a momentos também prazerosos?
  • Que a concentração de DA no organismo está relacionada, também, ao surgimento de doenças, sendo uma delas O Mal de Parkison?
  • Além disso, para estimular a produção e a liberação saudáveis de dopamina, recomenda-se o consumo de alimentos ricos em tirosina como derivados do leite, abacate, abóbora, amêndoa, feijão, nozes, carnes, ovos e outros; evitar o consumo de cafeína e fazer exercícios físicos regularmente.

A relação entre Dopamina e Drogas

Dopamina: Conheça mais sobre o neurotransmissor do prazer
Drogas – Fonte: Mundoeducação

Primeiramente é importante entender que a dopamina está intrinsecamente  relacionada com o que é chamado sistema de recompensa. Esse sistema funciona de forma que um circuito neuronal do cérebro influencia diretamente as emoções.

Ademais, as drogas servem e atuam como os receptores dos neurotransmissores, por isso, quando uma pessoa usa essas substâncias, logo o cérebro produz uma grande quantidade de dopamina. Como resultado disso, o estado de prazer aumenta. Porém, isso pode levar à necessidade de consumir a droga constantemente para sempre sentir a sensação de prazer.

Chegamos ao fim. Gostou de ler sobre dopamina? Então, você vai curtir ler sobre Casal desenvolve aplicativo que simula efeito de drogas para conscientização de usuários.

Fontes: AMenteMaravilhosa,  InfoEscola , BrasilEscola

Fonte da imagem destaque: FitWell