História

Como a [tardia] unificação da Itália criou uma superpotência

A Unificação da Itália se deu tarde e isso atrasou seu desenvolvimento industrial, mas conseguiu criar uma nação forte e temida em duas grandes guerras.

Atualizado em 07/01/2019
Por Adriano Curado

A Unificação da Itália ocorreu tardiamente. A Itália como uma nação que conhecemos hoje é relativamente recente, posto que antes ela era dividida em reinos.

Completou-se em 1871, quando foi unificada toda a Península Italiana e a presença da Áustria foi finalmente findada.

Nascia aí o Reino da Itália, que agora era uma única nação, governada pelo Rei Victor Manuel II.

O Ressurgimento unificou a Itália

Napoleão Bonaparte criou vários Estados na Península Itálica, entretanto, com a sua derrota, a região foi dividida.

A Áustria dominou quase toda a península e ainda partilhou territórios com os nobres de Saboia e Bourbons, além do Papa.

Eram unidades administrativas isoladas e com características próprias. Cada qual com sua moeda e idioma, havendo em comum o fato de existir uma preponderância do sistema agrário.

Você sabia que a tardia Unificação da Itália criou uma superpotência?

Mas ainda assim havia um forte movimento pela unificação, o chamado Ressurgimento, que agiu entre 1815 e 1870. O Ressurgimento se seu em duas etapas distintas.

A primeira fase foi uma malsucedida guerra nacionalista contra o Império Austríaco, só que os revoltosos foram derrotados (1848-1849).

A segunda fase ocorreu entre 1859 e 1860 e conseguiu a unificação, posto que foi declarada a existência de um Reino de Itália.

E em 1870, os Estados Pontifícios foram incorporados ao novo reino, havendo a anexação de Roma. O Reino de Itália passou a adotar o regime de monarquia parlamentarista.

A Questão Romana e o Tratado de Latrão

Após Roma ser incorporada ao Reino de Itália, em 1870, o Papa Pio IX se declarou um prisioneiro de guerra e não aceitou a unificação.

Nascia aí a Questão Romana, que foi uma disputa territorial envolvendo o Reino de Itália e o Papa, entre os anos de 1861 a 1929.

Você sabia que a tardia Unificação da Itália criou uma superpotência?

Essa perlenga terminou em 1929, quando o ditador Benito Mussolini, buscando apoio da Igreja, assinou um acordo com o Papa Pio XI.

Era o Tratado de Latrão, que criava o Estado do Vaticano e ainda indenizava a Igreja Católica pelas perdas territoriais.

O Papa ainda teria a soberania sobre a Praça de São Pedro e o Estado do Vaticano recebia status de uma nova nação. Seu administrador seria o Sumo Pontífice.

As consequências da criação do Reino de Itália

A unificação italiana culminou numa nação forte, sob o comando de uma monarquia constitucional. O país então se voltou para o Continente Africano e iniciou sua expansão territorial.

Isso desagradou as potências da época e foi um dos motivos da Primeira Guerra Mundial.

A Itália unificada assegurou a formação de um poderoso exército, que combateu ao lado dos Alemães e Japoneses na Segunda Guerra Mundial.

Você sabia que a tardia Unificação da Itália criou uma superpotência?

Você sabia?

Foi durante as guerras de independência na Península Itálica que os imigrantes italianos chegaram ao Brasil. Eles vieram trabalhar principalmente nas lavouras de café e algodão paulistas.

Mesmo após a unificação, algumas províncias ainda permaneceram sob domínio austríaco, de tal sorte que foram chamadas de províncias irredentas. Essas regiões foram anexadas ao final da Primeira Guerra Mundial.

Achou curioso saber um pouco mais sobre a Unificação da Itália? Então você tem que ler uma matéria interessantíssima sobre a Unificação Alemã.

Fonte: Brasil Escola, Toda Matéria, Sua Pesquisa, Mundo Educação, História do Mundo, Info Escola, História Livre, História de Tudo, Escola Kids, Cola da Web.

Próxima página »