Tecnologia

Código Morse – O que é, como era usado, alfabeto Morse e curiosidade

O Código Morse é um sistema de comunicação através de sinais sonoros que foi muito usado no passado, mas que é relevante até os dias de hoje.

Atualizado em 01/06/2020

O Código Morse é um sistema de comunicação a partir de sinais sonoros, usado para transmitir mensagens codificadas a um determinado receptor. Ele é baseado no alfabeto latino tradicional, em algumas letras romanas, números arábicos e pontuações e sinais padrões.

Criado em 1853, pelo físico Samuel Morse, esse código foi muito importante no passado, principalmente para a história das comunicações. Hoje, a transmissão do Código Morse não é mais usada ou monitorada de forma oficial por nenhuma nação, mas não deixa de ter a sua relevância.

Portanto, hoje iremos aprender mais sobre o que é o Código Morse, como foi usado e o seu alfabeto. Vamos lá.

O que é Código Morse?

Conforme dito anteriormente, o Código Morse é um sistema de comunicação baseado na transmissão de códigos através de sinais sonoros. Desse modo, os caracteres são representados por uma combinação única de pontos e traços, onde a sequência desses símbolos representam letras, números e pontuações, para explicitar uma mensagem.

Assim, esse método de comunicação possibilita a transmissão de mensagens à distância, por fio ou via rádio, por meio de sinais sonoros de curta e longa duração. A partir disso, a formação das palavras se dá através da combinação desses símbolos.

Como vários idiomas possuem alfabetos próprios, foram feitas extensões que se aplicassem ao Código Morse tradicional, para que fosse possível o seu uso em outras línguas.

Sendo assim, a transmissão de mensagens através do Código Morse pode ser feita por meios diferentes, sendo eles:

  • Uma rede telegráfica (feita por pulsos elétricos);
  • Através do som (por ondas mecânicas);
  • Através de sinais de rádio com pulsos ou tons curtos e longos (ondas eletromagnéticas);
  • Por sinais visuais (utilizando ferramentas como lâmpadas e heliógrafos).
Código Morse – O que é, como era usado e com qual afinidade, alfabeto Morse e curiosidade
Comunicação por meio do Código Morse.
Fonte: Wiki How

História do Código Morse

Depois do fracasso de um método parecido, que utilizava um sistema de agulhas para indicar a letra enviada, o telégrafo criado por Samuel Morse, em 1844, se tornou um sucesso. A partir dessa invenção, o plano era usar operadores treinados para decodificar sinais para enviar ou receber mensagens para todo o mundo.

Inicialmente, o Código Morse foi idealizado apenas para transmitir números, e assim, com um dicionário, encontrar a palavra de acordo com o número enviado. Contudo, esse sistema foi ampliado e começou a utilizar letras e caracteres especiais. Tudo isso para formar mensagens mais completas.

Dessa forma, os operadores tiveram que aprender a ler os clicados como início e o fim dos pontos e traços. Depois disso, notou-se que seria mais fácil para os operadores habilitados receber os códigos através da linguagem ouvida. E assim, o Código Morse passou a utilizar sinais sonoros.

Já como linguagem sonora, os pontos desse sistema foram vocalizados como “dit” e os traços como “dah”. No entanto, quando um “dit” não é o elemento final do caractere, seu som é encurtado para “di”, para que possa manter um melhor ritmo vocal.

Código Morse – O que é, como era usado e com qual afinidade, alfabeto Morse e curiosidade
Samuel Morse, criador do Código More.
Fonte: Grupo Escolar

Como o Código Morse se tornou o que conhecemos hoje?

Sendo assim, com a implementação de letras e caracteres ao Código Morse, esse sistema de transmissão se tornou mais acessível, e com o tempo, ficou mais curto e fácil de ser aprendido e interpretado. Desse modo, as letras mais usadas passaram para sequências mais curtas, e as letras menos usados, com as mais longas.

Inicialmente, os símbolos eram digitados em uma folha de papel, mas logo os operadores conseguiram ouvir os pontos elétricos enviados. Portanto, era mais fácil fazer um decodificação rápida, precisa, e principalmente sigilosa. E isso contribuiu bastante com a popularização desse modelo de comunicação.

Além disso, como dissemos, foram criadas extensões em outros idiomas para o Código Morse, e isso foi crucial para que ele pudesse ser utilizado em todo o mundo.

Onde o Código Morse era utilizado?

Depois de 1800, o Código Morse passou a ser utilizado em grande escala através de transmissões de sinal rádio. Portanto, a maioria das comunicações de longa distância, realizadas no final do século 19 e começo do século 20, eram feitas com esse sistema. Até porque, nessa época, essa era a única forma de comunicação a longa distância, já que não era possível enviar a voz.

Já na década de 1920, era imprescindível que em todo avião comercial ou militar tivesse a bordo uma pessoa capaz de entender esse código. Para que assim, se pudesse enviar ou receber mensagens para a torre de controle. Então, anos depois, pilotos civis e militares precisavam ter habilitação nesse código para fazer qualquer voo. Nessa época, todos os sistemas de navegação eram feitos por meio do Código Morse.

E essa exigência se expandiu também para os navios usados durante a Segunda Guerra Mundial, que também deveriam ter ao menos uma pessoa habilitada nesse sistema. Além disso, se tornou a principal forma de comunicação com os campos de batalha, usado para repassar ordens e os planos de guerra.

Código Morse – O que é, como era usado e com qual afinidade, alfabeto Morse e curiosidade
Máquina feita para transmitir os códigos através do som.
Fonte: Estudo Prático

Onde o Código Morse é utilizado atualmente?

Com a invenção do telefone, no final do século XIX, esse sistema acabou ficando muito antiquado. E com o desenvolvimento de outras tecnologias de comunicação mais eficazes, esse sistema acabou sendo substituído por outras opções mais modernas.

Esse sistema deixou de ser usado pela marinha mundial em 1999, com a adesão do Sistema Mundial de Socorro e Segurança Marítima. Contudo, a guarda costeira marinha dos Estados Unidos utiliza até hoje uma comunicação através do Código Morse.

Hoje ele ainda é usado em apenas algumas áreas da aeronáutica e da aviação civil.

Elementos do Código Morse

Cada letra, número e sinal de pontuação desse sistema é representado por uma sequência única de pontos e traços. Portanto, o tempo de duração de um traço é equivalente ao triplo do tempo de um ponto. Assim, cada ponto ou traço é acompanhado de um curto silêncio, igual à duração de um ponto.

Já as letras que compõem uma palavra são separadas por um espaço, igual a três pontos, e uma palavra é separada da outra por um espaço de sete pontos. Desse modo, a duração do ponto é a unidade de medida básica na medição do tempo em transmissões codificadas.

Sabendo disso, a duração de cada caractere é inversamente proporcional à frequência da sua ocorrência em inglês. Então, como a letra mais comum nesse idioma é o “E”, o seu código é mais curto, caracterizado por um único ponto.

Portanto, os elementos que compõem o Código Morse são:

  • Ponto ou dit (•)– sinal curto;
  • Traço ou dah (-)– sinal longo;
  • Intervalo entre caracteres (entre pontos e traços);
  • Intervalo curto (entre letras);
  • Intervalo médio (entre palavras);
  • Intervalo longo (entre frases);
Código Morse – O que é, como era usado e com qual afinidade, alfabeto Morse e curiosidade
Exemplo de como escrever palavras no Código Morse.
Fonte: Wiki How

Como ler em Código Morse

Embora seja uma comunicação complexa, qualquer pessoa pode aprender a ler e decifrar mensagens em Morse. Para isso, é preciso memorizar todos os seus símbolos e os seus equivalente em letras e números.

Primeiramente, é essencial aprender os sinais básicos, que no caso são dois tipos:

  • Os sinais curtos, que são representados visualmente por um ponto e chamados de “dit”.
  • Os sinais longos, são chamados de “dah”. Esses sinais são representados visualmente por um traço e geralmente são três vezes maiores ou mais longos que os “dits”.

Sabendo disso, o próximo passo é ouvir gravações em Morse para aprender a distingui-los em sinal sonoro.

Uma técnica que pode ajudar na compreensão dessas mensagens é a mnemotécnica. Essa técnica consiste em atribuir a cada letra uma palavra-chave específica, que comece com a letra que se deseja lembrar. Feito isso, basta substituir cada vogal da palavra-chave por um ponto ou uma linha de acordo com a regra seguir:

  • A primeira letra da palavra-chave é a letra correspondente;
  • A quantidade de vogais que a palavra-chave possui indica o comprimento da codificação em Morse dessa letra;
  • Se a vogal for a letra “O”, substitui-se por um traço (-);
  • Se for qualquer outra vogal ela deve ser substituída por um ponto (•);
  • Após as substituições, só serão considerados os pontos e linhas obtidos até a totalidade do comprimento em Morse.
Código Morse – O que é, como era usado e com qual afinidade, alfabeto Morse e curiosidade
Exemplo ilustrativo de como montar uma palavra em código.
Fonte: Wiki How

Alfabeto do Código Morse

Então, para aprender a decodificar mensagens em Morse, é primordial conhecer o seu alfabeto.

Código Morse – O que é, como era usado e com qual afinidade, alfabeto Morse e curiosidade
Alfabeto do Código Morse.
Fonte: CRN Notícias

As letras mais curtas e fáceis de serem memorizadas são as letras “E” e “T”, formadas por um ponto (dit) e traço (dah), respectivamente.

Curiosidade

Você provavelmente conhece a sigla SOS que é um pedido de socorro. Mas você sabia que ela foi criada exclusivamente para o Código Morse?

Sim, a sigla a foi usada dessa forma por ser uma combinação bastante simples e muito difícil de se confundida. Desse modo, em Código Morse, a sigla SOS é representada por três sinais curtos, em seguida três sinais longos e por fim mais três sinais curtos.

Portanto, acabou se tornando um sinal internacionalmente conhecido.

Código Morse – O que é, como era usado e com qual afinidade, alfabeto Morse e curiosidade
Imagem ilustrativa de como o SOS é representado no Código Morse.
Fonte: Choses A Savoir

E então, o que você achou dessa matéria? Aproveite também para conhecer sobre o livro o Código da Vinci.

Fontes: Educa Mais Brasil, Brasil Escola, InfoEscola, Estudo Prático

Fonte Imagem Destaque: Amino