Biologia

Briófitas – O que são, características, ciclo de vida e classificação

As Briófitas são conhecidas popularmente como “musgos” ou “hepáticas” e são plantas que vivem em locais úmidos e com pouca incidência de sol.

Atualizado em 27/05/2020

Briófitas são mini plantinhas que costumam viver em lugares com sombra e úmidade. Sua descendência vem das algas, plantas que vivem embaixo da água. Contudo, elas também são conhecidas como musgos. Por serem tão pequenas e morarem nesses lugares específicos, sem muita incidência de luz, elas não precisam de vasos condutores da seiva.

Essas plantas são, sobretudo, eucariontes, ou seja, possuem um envoltório nuclear, deixando seu núcleo delimitado. Mas, a característica mais importante é que as Briófitas são avasculares e possuem 3 partes em sua estrutura.

Características

Briófitas - O que são elas
Fonte: Cola da web

Como destacado anteriormente, as Briofitas não possuem vasos. Ou seja, são avasculares. Isso resulta na ausência de tecidos condutores em sua estrutura, que é dividade em três: rizoides, cauloides e filoides. A primeira consiste em um eixo responsável por fixá-lo do solo.

Cauloide, portanto, é a estrutura mais alongada que se parece muito com lâminas. São delas que saem os filoides, parte importante para realizar a fotossíntese.

As Briófitas possuem duas formas de reprodução sendo elas sexuada, ou assexuada. Isso ocorre, porque há a alternância de gerações, que se divide em gametofítica e esporofítica. Todo esse processo necessita, sobretudo, de água para acontecer.

Por fim, as medidas que essa plantinha pode alcançar é muito pequena, normalmente chegam a 5 cm de altura, o maior registro de sua medida chegou a vitoriosos 40 centímetros.

Reprodução sexuada e assexuada

Briófitas - O que são elas
Fonte: Escola Kids

O modo sexuado de reprodução dos musgos é chamado de gametófito e a produção de gametas acontecem nos finais das filoides. Esses são os machos e, portanto, produzem anterozoides que nada mais são que a célula sexual da planta. Em contrapartida, os gametófitos femininos produzem oosferas, presentes em todo o reino plantae.

Para que tudo isso aconteça e os anterozoides alcancem os gametófitos femininos, é necessário a presença da chuva para efetivar a fecundação. Os pingos de chuva carregam o material genético para as plantas e assim surgem novos brotos de briófitas.

Agora, a reprodução assexuada é advinda do processo de fecundação anterior. Depois de crescida, as plantas produzem esporos que caem e germinam, sem ajuda de qualquer fecundador. A única semelhança é que, em ambos os processos, é necessário que haja água.

Por fim, o ciclo de vida dos musgos se dá no processo de fecundação.

Classificação briófitas

Briófitas - O que são elas
Fonte: AnatoAtlas

Além dos musgos existem mais outros dois tipos de briófitas: as hepáticas e os antóceros. A hepática possui ausência de estômatos que são, basicamente, a estrutura que compõe as células. Os antóceros são bem interessantes, pois são capazes de se transformar em árvores, devido a meristema basal.

Por fim, Meristema Basal é uma pequena camada que surge no esporófitos e dão origem à medula e o câmbio. Ambos provocam o crescimento e a formação da pequena plantinha em uma árvore.

Leia também a nossa matéria sobre o Reino Vegetal, origem, características e classificações.

Fonte: Toda matéria, Só biologia, Brasil escola. Educa Mais Brasil.

Fonte imagem de destaque: Biologia Net

Fonte imagens: Cola da web, Escola Kids, AnatoAtlas, Só biologia.