Cientistas usam grafeno para tornar a água do mar potável

A busca por maneiras eficientes de dessalinizar a água do mar, o ato de se retirar o sal, acaba de chegar em um momento histórico. Pesquisadores da Universidade de Manchester, no Reino Unido, anunciaram a invenção de uma membrana de grafeno capaz de “peneirar” o sal diretamente da água do mar.

No momento, a técnica ainda é limitada ao laboratório, mas é uma demonstração de como poderíamos um dia facilmente transformar um dos nossos recursos mais abundantes, a água do mar, em uma dos mais escassos, a  água potável.

As membranas de óxido de grafeno têm sido consideradas um candidato promissor para filtração e dessalinização, mas apesar de muitas equipes terem desenvolvido membranas que poderiam peneirar partículas grandes fora da água, livrar-se do sal requer peneiras ainda menores que os cientistas conseguiram criar.

O grande problema é que, quando as membranas de óxido de grafeno são imersas em água, elas incham, permitindo que as partículas de sal fluam através dos poros.

A equipe de Manchester superou isso através da construção de paredes de resina epóxi em ambos os lados da membrana de óxido de grafeno, impedindo-o de inchar na água.

The University of Manchester

Isso permitiu que eles conseguissem controlar o tamanho dos poros na membrana, criando buracos minúsculos o suficiente para filtrar todos os sais comuns da água do mar.

Um futuro inevitável

Devido as alterações climáticas, a água do mar é nossa melhor alternativa para o futuro, as previsões indicam que o nível do mar aumentará cerca de 3,8 cm até 2100. Isso significa que as gerações futuras estarão enfrentando oceanos até 7,3 metros mais alto.

Mas, ao mesmo tempo, a água potável é incrivelmente difícil de encontrar em muitas partes do mundo. A ONU prevê que até 2025, 14% da população mundial vai sofrer com escassez de água. E muitos desses países não serão capazes de comprar grandes usinas de dessalinização.

Os pesquisadores agora esperam que a peneira baseada em grafeno possa ser tão eficaz quanto as grandes em pequena escala, por isso é mais fácil de ser desenvolvida.

O grafeno também é muito mais fácil e mais barato de se fazer em laboratório, o que significa que a tecnologia será acessível e fácil de produzir.

O próximo passo será testar como as membranas são duráveis ​​quando usadas durante longos períodos de tempo, e quantas vezes eles precisam ser substituídos.

 

Fonte: Science Alert.
Imagens: Reprodução da internet.


Comentários