Maconha pode rejuvenescer o cérebro e melhorar a memória, diz estudo

Segundo pesquisadores da Universidade de Bonn, na Alemanha, pequenas doses diárias de cannabis demonstraram melhorar o desempenho da aprendizagem e da memória em ratos velhos, restaurando a idade mental e retardando o envelhecimento do cérebro.

A maconha lentamente tem perdido sua reputação ruim nas sociedades. Já é amplamente conhecido os efeitos analgésicos da droga. Agora o novo estudo sugere que o uso da cannabis em pequenas doses diárias tem um efeito rejuvenescedor sobre o cérebro, mas apenas em “cérebros idosos”.

O estudo

Os resultados demonstram que o tetrahidrocannabinol (THC), o ingrediente psicoativo da cannabis, pode ter efeitos significativamente diferentes nos cérebros mais velhos comparado com animais mais jovens. Se esses efeitos positivos se estenderem aos cérebros de humanos idosos, poderia ajudar a tratar o declínio cognitivo que surge ocasionalmente com a idade avançada, incluindo demência.

Get Budding/Unsplash

“O tratamento inverteu completamente a perda de desempenho cognitivo nos animais idosos”, diz o neurobiólogo Andreas Zimmer da Universidade de Bonn, na Alemanha.

“Parecia que o tratamento com THC reverteu o relógio molecular.”

Durante um período de quatro semanas, a equipa de Zimmer administrou pequenas doses de THC, através de gotejamento, em camundongos com idade de dois meses (jovem), 12 meses (adultos) e 18 meses (idosos).

Em testes de cognição com camundongos controle, que não recebiam as doses de THC, os animais jovens superaram os adultos e idosos, como era esperado.

Mas quando os animais receberam as doses de THC, os camundongos adultos e idosos aumentaram enormemente seu desempenho nos testes de aprendizagem e memória, igualando-se aos animais jovens, do grupo de controle, que não receberam as doses de THC.

Estes efeitos foram duradouros, os testes começaram depois de cinco dias após os ratos terem terminado o seu regime de THC de 28 dias, e o aumento nos resultados durou várias semanas após a cessação do tratamento.

Mas THC não aumentou o desempenho cognitivo em todos os animais do experimento. Os ratos jovens que receberam a droga apresentaram resultados piores.

“Parece que o cérebro jovem se torna velho e o cérebro velho se torna jovem”, disse Andras Bilkei-Gorzo, um dos membros da equipe.

“À primeira vista, era totalmente ilógico, mas percebi que quando demos a droga a um animal jovem, o sistema endocanabinóide é super estimulado, e o animal fica hiperativo. Já nos animais idosos, o mesmo tratamento normaliza o sistema endocanabinóide . ”

Isso pode ser porque o THC imita o efeito de canabinoides produzidos naturalmente no corpo. Altas concentrações de canabinoides prejudicam o funcionamento do cérebro, mas quando os animais são mais velhos, o suplemento do THC normaliza os níveis do canabinoide do corpo, melhorando o desempenho cognitivo.

“Com o aumento da idade, a quantidade de canabinoides produzidos naturalmente no cérebro reduz”, explica Zimmer. “Quando a atividade do sistema endocanabinóide reduz, há um envelhecimento rápido do cérebro”.

O próximo passo da equipe é descobrir se os efeitos positivos do THC observados nos cérebros de camundongos idosos se replicam nos cérebros idosos da nossa especie. Os pesquisadores planejam realizar ensaios clínicos com seres humanos no final do ano.

 

 

Fonte: Science Alert.
Imagens: Reprodução.

 


Comentários