Conheça algumas das mais chocantes descobertas arqueológicas

O mundo da arqueologia é realmente fascinante e misterioso. Na grande parte do tempo isso é verdade, porém, existe um lado obscuro dessa ciência, onde a crueldade, assassinatos, torturas e outras coisas são reveladas.

Confira agora algumas das mais chocantes descobertas arqueológicas feita pelo homem:

Poço da morte

Um projeto imobiliário na França descobriu algo verdadeiramente chocante em 2012: um poço de 6 metros de profundidade cheio até o topo com ossos humanos.

Ainda mais doentio, os ossos consistiam em braços e dedos cortados, com esqueletos de bebês, crianças e adultos. Os pesquisadores encontraram pelo menos sete braços, incluindo um de um jovem adolescente. Em cima dos membros amputados, sete corpos tinham sido jogados na cova, incluindo o de um homem de meia-idade que tinha um braço cortado e sofrido um golpe na cabeça. Esses ossos datavam de cerca de 5.335 anos.

Vampiros poloneses


A verdadeira história por trás dos vampiros da Europa Oriental é possivelmente mais assustadora do que os contos ficcionais do Drácula. Entre os anos 1600 e 1700 na Polônia, algumas pessoas foram enterradas com foices sobre seus pescoços ou rochas encravas em suas bocas. Essas precauções foram tomadas para evitar que os mortos voltassem a vida, como vampiros que, acreditavam os moradores locais, voltariam para sugar o sangue dos aldeões.

O golpe do campeão

Com pescoços flexionados e mandíbulas abertas, dezenas de esqueletos foram achados em uma antiga vala perto de Atenas. Suas expressões vazias não são o que tornam essa descoberta terrível, mas sim que que muitos deles usavam grilhões (uma corrente de metal, formada por anéis, em forma de cadeado).

Dos 80 esqueletos, 36 tinham os grilhões de ferro em torno de seus pulsos, e segundo os arqueólogos, eles eram prisioneiros que morreram cerca de 650 a.C. a 625 a.C.. Os registros históricos conta de um golpe antigo em 632 a.C., o que poderia explicar os corpos. Cylon, um campeão olímpico, tentou assumir Atenas, mas acabou falhando. Os corpos poderiam ser os de seus seguidores executados, mas nada foi confirmado.

Gladiadores decapitados

Um conjunto de esqueletos descobertos em York, Inglaterra, pertencia a homens altos, que faleceram provavelmente com 45 anos de idade. Mas o mais interessante disso tudo é que todos eles estavam decapitados e foram enterrados juntos com as cabeças.

Os esqueletos datam entre o segundo e quarto séculos d.C, quando a área era parte do norte do Império Romano. Pelo fato da maioria dos esqueletos serem particularmente altos e mostrarem sinais de trauma, alguns especialistas suspeitam que essas pessoas eram gladiadores ou militares.

Vestígios de uma caça às bruxas

Crédito: Open Space Trust / Projeto Mither Kirk

Às vezes, uma descoberta arqueológica não precisa envolver ossos para ser perturbadora. Uma igreja do século XV em Aberdeen, na Escócia, contém um artefato como esse. A capela continha um pilar de pedra com um anel de ferro , que pode ter sido usado para conter as bruxas acusadas em 1597.

Cerca de 400 pessoas foram julgadas e cerca de 200 executadas em um período de oito meses em Aberdeen. As mortes foram terríveis. Um dos casos mais famosos, Jane Wishart, foi condenado junto com seu filho Thomas Leyis. Ambos foram estrangulados e depois queimados.

 

Fonte: Live Science.
Imagens: Reprodução.


Comentários