Lago na África matou 1700 pessoas durante a noite, e pesquisadores não sabem como

Em 21 de agosto de 1986, um dos mais estranhos e misteriosos desastres naturais da história aconteceu no Lago Nyos, formado no topo de uma cratera vulcânica na região noroeste de Camarões.

Inesperadamente, o lago liberou milhares de toneladas de dióxido de carbono tóxico. A nuvem letal silenciosamente espalhou-se pelo campo a quase 100 km/h, sufocando em poucos minutos aproximadamente 1.746 pessoas e mais de 3.500 cabeças de gado.

Muitas pessoas das aldeias de Cha, Nyos e Subum foram silenciosamente asfixiadas durante o sono. Alguns foram encontrados com sangue em torno de seus narizes e bocas. Quando os poucos sobreviventes acordaram, não encontraram nenhum distúrbio, nenhuma violência, apenas cadáveres. Até mesmo as moscas caíram mortas.

Joseph Nkwain, que acordou 3 horas após a liberação da nuvem, contou sua experiência trágica ao pesquisador da Universidade de Plymouth, Arnold H. Taylor:

Eu não conseguia falar, fiquei inconsciente, não consegui abrir a boca, sentia um cheiro terrível no ar … ouvi minha filha roncando de uma maneira terrível, muito anormal …

Ao ir na cama da minha filha … eu desmoronei e caí. … Meus braços tiveram algumas fraturas, eu realmente não sei como aconteceu. Eu queria gritar, mas não conseguia respirar… Minha filha já estava morta.

É um dos eventos mais desastrosos da história, e os cientistas ainda não têm ideia do que o causou.

“Foi um dos desastres mais estranhos que os cientistas já investigaram: os lagos simplesmente não se levantam e exterminam milhares de pessoas”, disse George Kling, ecologista da Universidade de Michigan, ao The Guardian em 2005.

Gado morto após o evento. Crédito: US Geological Survey

Tragédia e Mistério

Na época, os pesquisadores descobriram que o Lago Nyos havia liberado uma enorme quantidade de CO2 por volta das 21h, e devido o CO2 ser mais pesado que o ar, rapidamente desceu para os vales, cobrindo tudo com uma nuvem de gás tóxica de 50 metros de espessura.

Normalmente, essas centenas de milhares de toneladas de CO2 ficam presas no lago, mas desta vez, algo explodiu a tampa.

Como David Bressan explicou para a Scientific American , os gases vulcânicos que emanam do solo abaixo do lago se dissolvem e se concentram em suas águas mais profundas, e as temperaturas tropicais formam uma espécie de “tampa” de água quente acima dessa água mais fria.

Não está claro o que “quebrou o selo” e permitiu que a água do fundo e contaminada subisse, mas poderia ter sido um terremoto, um deslizamento de terra ou uma erupção vulcânica.

commons.wikimedia

Gatilho silencioso, efeitos catastróficos.

“O lago literalmente explodiu no que é conhecido como uma erupção límnica, jogando a água a 91 metros no ar e criando um pequeno tsunami”, relata Atlas Obscura.

Na ausência de uma explicação científica definitiva, as teorias da conspiração ganharam espaço. Muitos acreditam que a erupção foi provocada por um teste secreto de bombas, executado pelos governos de Israel e de Camarões.

Curiosamente, um evento similar aconteceu nas proximidades apenas dois anos antes, no Lago Monoun, onde uma erupção de CO2 matou 37 pessoas. Ninguém sabe o que desencadeou a erupção.

Para evitar que esses lagos explodissem mais uma vez, em 2001, os engenheiros instalaram tubos para sugar o CO2 do fundo do lago e liberá-lo gradualmente para a superfície. Outro conjunto de tubos foram instalados em 2011, depois que os pesquisadores alertaram sobre outra explosão “que poderia ser maior do que qualquer um desses desastres anteriores”.

 

Texto originalmente publicado em Science Alert.
Imagens: Reprodução.


Comentários