Homem cultiva jardim em garrafa que não recebe água desde 1972

Em 1960, o inglês David Latimer decidiu tentar criar um pequeno jardim dentro de um garrafão de vidro. Desde então, o seu jardim portátil segue verde e intensamente vivo, devidamente lacrado dentro da garrafa. O detalhe que espanta: a última vez que Latimer molhou o a planta foi em 1972.

Foi em um domingo de páscoa de 1960 que o inglês colocou um composto de terra dentro do garrafão e plantou uma muda de Tradescantia. Ele garante que teve a ideia simplesmente para encontrar utilidade para a bela garrafa, e decidiu fazer o experimento. Passados 57 anos, seu jardim segue saudável e autossuficiente, crescendo sozinho e perfeitamente.

A umidade gerada pelas próprias plantas dentro da garrafa age como uma espécie de “chuva”. Bactérias presentes no solo degradam as folhas que caem, liberando o gás carbônico e produzindo os nutrientes necessários, e assim o ciclo está completo.

Nos 12 primeiros anos a única coisa que entrava dentro da garrafa era luz solar, ingrediente fundamental para as plantas realizarem a fotossíntese. Em 1972, Latimer decidiu abrir a garrafa pela primeira vez, para acrescentar mais água ao pequeno ecossistema que se formava.

A garrafa funciona como uma versão micro do que acontece em todo o planeta, com uma enorme diferença: não existe interferência humana. Isso nos leva a seguinte reflexão: se o ser humano não interferir, a natureza simplesmente prospera com toda sua força, mesmo nos lugares mais inóspitos, pelo tempo que for.

 

Texto originalmente publicado no Hypeness.
Imagens: Reprodução.


Comentários